Voltar
10/09/2018| Universidade do Porto lança dois vídeos com o objetivo de ajudar os portugueses na prevenção da infertilidade





 

A equipa do projeto é composta por investigadores e docentes das faculdades de Psicologia, Prof.ªs Doutoras Mariana Martins, Juliana Pedro, Maria Emília Costa, Medicina, Profs. Doutores Alberto Barros e Pedro Xavier e Ciências, Prof. Doutor Vasco Almeida.
https://www.youtube.com/watch?v=jLwHo2J25OA
Este vídeo apresenta informação científica baseada na evidência acerca de saúde reprodutiva e fertilidade, incluindo informação acerca das consequências do adiamento e efeito da idade na fertilidade, fatores de risco associados a esta doença e taxas de sucesso dos tratamentos de fertilidade.
O outro vídeo desenvolvido pela UP pretende aumentar a literacia no que diz respeito às probabilidades efetivas de alcançar uma gravidez espontânea ao longo do ciclo menstrual, ajudando a detetar quais os dias mais propensos à fecundação.
Os vídeos estão a ser testados pela equipa em ensaios randomizados controlados há mais de um ano, envolvendo mais de uma centena de casais. Ainda são aceites voluntários, bastando para isso aceder à página de Facebook Casais e Famílias em Construção.
Os vídeos estão disponíveis para consulta aqui.
O futuro da fertilidade
Num comunicado divulgado à comunicação, o presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução (SPMR), Dr. Pedro Xavier, acredita que este é apenas um passo para aumentar o conhecimento e que o envolvimento dos profissionais de saúde reprodutiva na prevenção é crucial.
Sendo o aumento da idade materna a principal causa de problemas ao nível da conceção espontânea, não esquecendo que há também evidência recente da influência da idade paterna, “é importante que os jovens casais reflitam sobre como priorizar a transição para a parentalidade quando estão a pesar todos os outros fatores na balança como a carreira, formação e estabilidade económica”, explica a Prof.ª Doutora Juliana Pedro.
“Não temos a pretensão que as pessoas comecem a ter mais filhos e mais cedo, mas que apenas estejam conscientemente informados acerca da idade ideal na qual devem começar a planear uma família – por exemplo, sabemos hoje que se a família pretendida contemplar um filho, a idade máxima da mãe recomendada para engravidar deve ser 32 anos, e no caso de serem desejados dois filhos não deve ultrapassar os 27”, acrescenta.
O segundo vídeo é dirigido já para os casais que estão a tentar conceber um filho, no sentido de detetar o melhor momento conducente a uma gravidez espontânea enquanto se enfrenta o stress relacional inerente a vários meses de tentativas falhadas. “O planeamento familiar em Portugal infelizmente ainda não contempla informação sobre como planear uma família, consiste na maioria dos casos em informar e prescrever no sentido de evitar uma gravidez”, afirma a Prof.ª Doutora Mariana Martins, coordenadora da secção de Psicologia da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia.
“Num estudo anterior reunimos evidência de que a população jovem mantém expetativas elevadas acerca da facilidade de procriar, quer seja espontaneamente, quer com recurso às técnicas de reprodução assistida”. Estes dados revelaram que os jovens adultos acreditam que a probabilidade de uma mulher de 25 anos engravidar se estiver na fase de ovulação é de 85%, quando na verdade é de 35%. O mesmo acontece quando se pergunta qual a probabilidade de uma mulher de 35 anos engravidar recorrendo à procriação assistida, tendo os jovens dado uma resposta média na ordem dos 60%, muito acima da percentagem real de 25%.
Num comunicado divulgado à comunicação social, a equipa atribui estas falsas perceções à educação sexual, que ainda é centrada na prevenção da gravidez, e ao mediatismo de certos casos que recorrem a estas técnicas fazendo com que pareça fácil, sendo o exemplo mais carismático em Portugal o de Cristiano Ronaldo.
http://www.newsfarma.pt/noticias/6982-universidade-do-porto-lan%C3%A7a-dois-v%C3%ADdeos-com-o-objetivo-de-ajudar-os-portugueses-na-preven%C3%A7%C3%A3o-da-infertilidade.html

 

Fonte texto e imagem: News Farma

Voltar