Voltar
16/12/2019| Tecnologia desenvolvida no Porto ajuda no diagnóstico de nódulos pulmonares

 



 

Os investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) e do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), no Porto, aliaram-se para desenvolver uma tecnologia que auxilia os médicos a identificar, caracterizar e classificar nódulos pulmonares, designada de LNDetector. A tecnologia é composta por módulos de “deteção, caracterização e determinação da malignidade de nódulos pulmonares, refere o INESC TEC.
“Para além do protótipo de três módulos, foi também criada uma base de dados anotada de imagens de Tomografia Computadorizada que contém uma grande variedade de nódulos, com diferentes tamanhos, posições, formas e texturas, e o mapa de observação de radiologistas durante o processo de anotação dos exames”, acrescenta a entidade, em comunicado.
O Prof. Doutor António Cunha, um dos investigadores responsáveis, salienta que “o cancro do pulmão é atualmente o mais letal e a solução passa pelo diagnóstico precoce. Para fazermos esse diagnóstico são necessários rastreios onde são utilizadas tomografias computorizadas (TAC) que têm entre 300 a 500 imagens. Através dessas imagens, os médicos caracterizam os nódulos, que por vezes são muito pequenos e difíceis de encontrar”. Assim, a tecnologia atua como uma segunda opinião, aliada à autoridade médica.
A tecnologia, cujo acrónimo LNDetector parte de Sistema Automático de Deteção, Segmentação e Classificação de Nódulos Pulmonares em Imagens de Tomografia Computorizada, é financiada em 168 mil euros pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Esta surge da necessidade de auxiliar os médicos no processo de diagnóstico do cancro do pulmão, distinguindo-se dos métodos existentes pela capacidade de antecipar a deteção de nódulos em fases precoces.
“Os nódulos pulmonares apresentam uma grande variedade de formas e texturas, o que faz com que identificá-los e caracterizá-los seja uma tarefa bastante complexa, especialmente para nódulos pequenos. No entanto, aprendendo através de milhares de exemplos de nódulos, conseguimos melhorar significativamente a sua deteção, o que tem um impacto significativo no diagnóstico, follow-up e tratamento de um paciente na vida real.”, explica o investigador.
“O desenvolvimento na área da inteligência artificial e ‘big data’ está a abrir novas oportunidades no setor da Saúde, e os avanços da tecnologia que se preveem prometem novos desafios para todos os que trabalhem nesta área”, conclui a Prof.ª Doutora Isabel Ramos, diretora do serviço de Radiologia do CHUSJ.
https://www.mypneumologia.pt/atualidade/1218-tecnologia-desenvolvida-no-porto-ajuda-no-diagn%C3%B3stico-de-n%C3%B3dulos-pulmonares.html

 

Fonte texto e imagem: News Farma

Voltar