Voltar
13/03/2018| Especialistas alertam para a inexistência de um rastreio populacional do cancro do intestino

 



 

No Mês Europeu de Luta Contra o Cancro do Intestino, a Europacolon Portugal - Apoio ao Doente com Cancro Digestivo vem alertar para a inexistência de um rastreio de base populacional desta patologia em todo o país. Para a Associação, a implementação desta medida poderia reduzir o número de mortes por cancro do intestino.
O cancro do intestino é a doença oncológica com maior mortalidade e incidência em Portugal, com cerca de oito mil novos casos todos os anos e responsável pela morte de quatro mil portugueses anualmente. Neste sentido, o presidente executivo da Europacolon Portugal, Vítor Neves, alerta para o facto de morrerem 11 portugueses por dia com cancro do intestino, parecendo que ninguém está "devidamente sensibilizado para esta questão".
Em comunicado, Vítor Neves refere ainda que "é possível evitar estas mortes", tendo em conta que se trata "de um tumor que demora entre seis a oito anos a evoluir, ou seja, se for detetado precocemente, o doente pode ser devidamente tratado e o desfecho não será o mesmo".
http://www.vitalhealth.pt/saude/5840-especialistas-alertam-para-a-inexist%C3%AAncia-de-um-rastreio-populacional-do-cancro-do-intestino.html

Voltar