Previna a gengivite com uma higiene oral completa

Gengivite é o termo que define o estado de inflamação das gengivas. Depois de desenvolvida a dentição, ocorre com muita frequência e o seu tratamento é, habitualmente, fácil.

Gengivite – O que é?

Gengivite é o termo que define o estado de inflamação das gengivas. Depois de desenvolvida a dentição, ocorre com muita frequência e o seu tratamento é, habitualmente, fácil. No entanto, o não-tratamento pode levar à evolução para doenças gengivais mais graves, como a periodontite – que pode obrigar à perda de dentes.

Voltar ao início

Quais as suas causas?

A principal causa da gengivite é a acumulação de placa bacteriana na linha entre os dentes e as gengivas. A inflamação é provocada pela ação das bactérias que vão infetar as gengivas e os tecidos envolventes. A acumulação de placa bacteriana resulta, quase sempre, de uma higiene oral menos cuidada.

Além da má higiene oral, o maior risco de desenvolver gengivite e/ou o seu agravamento poderá também ser provocado por:
  • Traumatismo nas gengivas, nomeadamente, devido a escovagem ou utilização do fio dentário excessiva;
  • Alimentação desequilibrada e com carência de vitamina B, C e cálcio;
  • Alterações hormonais decorrentes da puberdade, gravidez e da menopausa;
  • Toma de alguns medicamentos, nomeadamente, contracetivos, bem como de antidepressivos e fármacos para o tratamento das constipações que tenham como efeito secundário a secura da boca, devido à redução da secreção de saliva, um agente importante na limpeza natural da boca e no controlo das bactérias;
  • Infeções virais ou fúngicas, como a candidíase oral.

Se tiver dentadura postiça, ponte ou aparelho de ortodôncia, deverá ter um cuidado redobrado com a sua higiene oral e com a acumulação de placa bacteriana.

Voltar ao início

Sintomas: como sei que tenho gengivite?

Numa fase inicial, e porque a inflamação é progressiva, a gengivite pode passar despercebida. Por isso, tenha em atenção os seguintes sintomas:
  • Sangramento frequente das gengivas, sobretudo, aquando a escovagem dos dentes, a utilização do fio dentário ou com a mastigação;
  • As gengivas adquirem uma tonalidade mais avermelhada ou púrpura;
  • Gengivas inchadas;
  • Maior sensibilidade à dor;
  • Aparecimento de aftas;
  • Mau hálito e mau sabor na boca.

O agravamento da gengivite pode também provocar:
  • Sangramentos espontâneos das gengivas, mesmo sem escovagem, utilização do fio dentário ou mastigação;
  • Pequenas formações de pus em torno das gengivas e dos dentes;
  • Aparecimento de espaços entre os dentes;
  • Alteração da fixação dos dentes na arcada dentária, provocado a sua mobilidade;
  • Com a recessão das gengivas, os dentes adquirem um aspeto mais comprido.

Voltar ao início

Prevenção e tratamento

O principal meio de prevenção da gengivite é a higiene oral completa, que inclui:
  • A correta escovagem dos dentes com uma pasta dentífrica com flúor, diariamente, depois das principais refeições e antes de dormir. Cada escovagem deve durar cerca de três minutos e é muito importante ter o cuidado de escovar entre o sulco gengival e a dentição; Para obter aconselhamento sobre o tipo de escova e de pasta dentífrica que deverá utilizar, consulte um profissional em saúde oral;
  • A utilização de fio dentário, uma vez por dia, para remover restos de comida que frequentemente se alojam entre os dentes, em locais de difícil acesso à escova dentária;
  • O uso de um bom elixir bocal, puro ou diluído numa porção de água, deve fazer parte da rotina diária de uma higiene oral completa, na medida em que a solução líquida permite eliminar bactérias e resíduos alimentares que nem a escovagem, nem o fio dentário conseguem eliminar. Pela manhã e antes de se deitar, depois de escovar os dentes e passar o fio dentário, deve bochechar com um elixir durante cerca de 30 segundos. Depois de o deitar fora, evite passar a boca por água, para deixar atuar as propriedades antisséticas do elixir, garantindo assim a eliminação mais eficaz da placa bacteriana. O elixir é também uma ótima solução para o combate ao mau hálito, deixando na boca uma agradável sensação de limpeza e frescura;
  • Fazer uma alimentação saudável e evitar comer doces entre as refeições;
  • Consultar um dentista ou um higienista oral, pelo menos, duas vezes por ano.

Se detetar algum dos sintomas acima descritos, consulte imediatamente um profissional de saúde oral. O tratamento da gengivite requer uma consulta com um dentista ou um higienista oral, para proceder a uma limpeza da boca, à remoção da placa bacteriana acumulada e ao tratamento adequado, com vista a travar a progressão da doença. Em alguns casos, poderá ser prescrito um antibiótico e/ou um elixir bocal, bem como uma pasta dentífrica de ação mais específica.
Pode também ser necessário tratar outras doenças ou anomalias que podem provocar e/ou agravar a gengivite.

Voltar ao início