Voltar
31/07/2017| AEOP distingue enfermeiras do IPO Lisboa que ajudam doentes laringotomizados a comunicar

 

“Não conseguem falar, mas podem comunicar” é o mote deste projeto desenvolvido no âmbito do trabalho de pesquisa para o mestrado da Enf.ª Inês Frade e que teve “grande impacto junto dos doentes e dos profissionais de saúde”, revela o IPO Lisboa. A implementação deste projeto contou com a estreita colaboração da Enf.ª Susana Miguel.
A enfermeira dos serviços de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Otorrinolaringologia (ORL) do IPO Lisboa explica que, hoje em dia, as novas tecnologias dispõem de inúmeras aplicações que constituem um apoio importante para doentes, familiares e profissionais de saúde. “Nos primeiros tempos após a cirurgia os doentes não conseguem falar e ainda não desenvolveram a mimica labial. Para facilitar a sua comunicação com os outros, elevar a sua autoestima, melhorar a sua qualidade de vida, resolvemos socorrer-nos das novas tecnologias, nomeadamente do uso de tablets e computadores, e ensinámos os doentes a dizer o que pretendem”. Nos casos em que os doentes têm dificuldade em utilizar estas tecnologias, são aplicadas outras estratégias, “por exemplo o quadro de letras e palavras, o livro com símbolos e a escrita”. “A equipa de enfermagem adequa sempre a estratégia à circunstância do doente”, revela a Enf.ª Inês Frade.
O projeto “Uso da tecnologia na comunicação da pessoa laringectomizada” já ultrapassou as fronteiras dos serviços de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Otorrinolaringologia (ORL) do IPO Lisboa, e houve vários profissionais de saúde que receberam formação para o implementar noutros serviços. Um motivo de orgulho para a autora do projeto: “nunca quis que o projeto fosse apenas académico, queria algo que pudesse permanecer no tempo e fiquei muito satisfeita com o resultado final, não só pela aceitação dos métodos pelos doentes, mas também por parte dos meus colegas, que se mostraram sempre muito interessados e empenhados neste assunto.”
O trabalho foi apresentado e distinguido com o primeiro prémio de boas práticas clínicas da AEOP na 10.ª Reunião Anual da Associação que aconteceu no mês de junho, em Viseu, e também já foi apresentado nos Encontros da Primavera do IPO.
Leia a notícia aqui: http://www.myoncologia.pt/pessoas-servi%C3%A7os/603-aeop-distingue-enfermeiras-do-ipo-lisboa-que-ajudam-doentes-laringotomizados-a-comunicar.html

 

Fonte Texto e Imagem: News Farma

Voltar